Novais se sente bem da lesão que o tirou seis meses das arenas

By: Jorge Cardoso / PBR Brazil  segunda-feira, 30 de março de 2020 @ 18:58

Foto por Alberto Gonzaga / PBR Brazil

História

Se Fernando Henrique Novais, 33 anos, tivesse de escolher uma palavra para resumir 2018 e 2019 seria equilíbrio, sem dúvidas, por conta de suas dores e vitórias durante esse período.

Em janeiro de 2018 ele comemorava seu retorno às arenas dos Estados Unidos, onde sempre gostou de estar por realizar um dos seus grandes sonhos que era o de ser um competidor reconhecido mundialmente.

No entanto, no round final em Fort Worth, no Texas, ele sentiu uma dor no joelho direito depois de se apresentar a bordo do touro Smooth Over, depois de um dos pés enroscar na corda de flanco e o outro bater no chão. “Não consegui parar os oito segundos e assim que pisei no chão senti essa dor, mas achei que fosse por conta do momento”, explica Novais.

Ele continuou atuando nos Estados Unidos na temporada 2018, retornando ao Brasil apenas em maio, para disputa do Monster Energy PBR em Maringá. “Estava montando bem no Top 35 do Mundial e no Brasil liderei várias vezes e estava com chances do título”, comenta.

A segunda lesão veio depois de levar uma chifrada no mesmo joelho, durante uma etapa em rodeio aberto na cidade de Ibirarema, interior paulista, em novembro. “Fui para Goiânia na etapa da PBR (Brasil) com o joelho trincado na semana seguinte e por isso não montei bem naquela etapa. Depois disso participei de outro rodeio aberto, cai e torci o joelho. Foi aí que senti que a situação estava realmente complicada”.

Mesmo com muitas dores, Novais conquistou o título de campeão brasileiro do Monster Energy PBR naquele ano, foi destaque por liderar o campeonato várias vezes e ainda ser um dos convocados para o Team Brazil durante a Global Cup 2019.

“Realmente foi emocionante carregar a fivela de melhor competidor do Brasil e ainda fazer parte de uma seleção bicampeã da Global Cup”, explica. “Eu estava com dores e montei com uma joelheira emprestada do Guilherme Marchi”, completa.

A última montaria de 2019 foi no dia 22 de junho na etapa de classificação para o Iron Cowboy em Americana, no segundo round, contra o touro Caiçara, da Cia Paulo Emílio. “Cheguei ao meu limite. Não dava para eu continuar mais”.

A operação ocorreu no final de agosto em Pereira Barreto, interior paulista, cidade onde mora.

O tratamento de Novais foi complicado e precisou de muita atenção do fisioterapeuta Diego Saiki Giannini e do personal trainer Conrado de Paula Santos.

“A cirurgia foi por corte, o que leva mais tempo para iniciar um tratamento e por isso não conseguíamos os resultados esperados, até porque ainda faltavam ele tirar os medos e voltar a sentir confiança em firmar o joelho. Essa é uma das lesões que mais assombram os atletas devido ao seu tempo de afastamento e as dores que sentem”, detalha Giannini. Ainda de acordo com o especialista, falta pouco para ele estar totalmente pronto. “Agora é igualar explosão de força que ainda não está como queremos”, completa.

Em sua casa, o atleta mantém uma rotina de atividades físicas regulares, conforme explica Souza, que faz o acompanhamento de Novais. “Ele precisa manter os treinos, porque passou por um período muito difícil nos últimos seis meses. Também tem se fortalecer, especialmente exercícios focados no centro do corpo, já que fico muito tempo parado, além de exercícios específicos para o joelho”.

Para Novais, o pior já passou e ainda há muito pela frente. “Ainda quero fazer uma temporada muito boa no Brasil e voltar a montar nos Estados Unidos. Estou confiante e me sinto bem para montar. Agora é voltar à boa fase”, finaliza.